---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?

Polo Calçadista

Publicado em 13/05/2017 às 09:09 - Atualizado em 19/02/2018 às 11:54

Considerado o 4º principal polo de calçados do país, a história de São João Batista com o calçados é recente, mas de muito sucesso. Quem estuda um pouco sobre o polo, percebe logo. Diante do fechamento da USATI, empresa que empregava a maioria das pessoas na cidade na década de 80, um cenário de abandono se transformou num espaço de trabalho em constante transformação.

São João Batista se emancipou de Tijucas em 1958. Nos anos 60, logo após a emancipação, havia cerca de 20 empresas instaladas na cidade. Eram pequenas fábricas “de fundo de quintal” com poucos funcionários e operadas por famílias.

A economia da cidade começou a aquecer há cerca de 35 anos, quando sinais para a formação de uma estrutura para um polo calçadista apareceram. Sinais que faziam com que a produção caseira fosse substituída por empresas mais eficientes e outras indústrias do ramo fossem instaladas na região. Entre os momentos que mais impulsionaram a economia da cidade, o ano de 1986 com a conjuntura do Plano Cruzado é bastante lembrado. Estima-se que nessa época, havia 300 empresas no município, sendo que 50% delas foram instaladas naquele ano.

Em 2001, a cidade conquistou o título, por meio de lei, (12.076, de 27 de dezembro de 2001), de Capital Catarinense do Calçado.

São João Batista conta atualmente com 270 empresas de fabricação de calçados em atividade e 122 ateliês (Dados de fevereriro de 2018 - departamento de tributos) que produzem em média 1 milhão e 600 mil pares por mês de calçados femininos.

O polo emprega diretamente nas linhas de produção mais de 8 mil trabalhadores.

Em 2015 se destacou como o Município que mais gerou empregos em Santa Catarina - dados do Cadastro Geral de Empregos. Em 2016 e 2017 também se mantece entre as primeiras cidades do ranking.

Além disso, a cidade foi nos últimos anos, dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística a segunda cidade que mais cresceu em população no Estado, perdendo apenas para Araquari, que recebeu a fábrica da BMW e empatando com a cidade litorâneoa de Itapema. 


Galeria

  • {{galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
  • {{galeriaMultimidia.length + galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
Fechar